RSS Feed

Esteros: novidades, noticias, capa, informações.

Posted by Aldemir Alves da Silva

As crônicas de Fedors – O inicio de uma saga.

Boa tarde, leitores!

Esse post é para apresentar-lhes o primeiro capitulo de Esteros, e compartilhar mais um pouco com vocês, a minha felicidade. Poder ver, o meu primeiro livro se tornar uma realidade é muito gratificante, não existem palavras que descrevam a sensação de um sonho realizado. Sendo um autor em inicio de carreira, eu sonho em poder agradar - chamar atenção dos amigos e leitores que estão interessados em conhecer a minha saga literária.

Não almejo fama, nem mesmo dinheiro, pois sei que ainda é preciso incentivar muito o nosso povo brasileiro - a aderir à arte da leitura, mas se Esteros agradar 50% dos leitores que estiverem entusiasmados a acompanhá-lo, estarei infinitivamente satisfeito.

Os leitores amantes da fantasia podem esperar uma narrativa bem descritiva nesse primeiro capitulo - já me disseram que as primeiras 50 páginas; até parecem um manual de tão detalhada - eu digo que é isso mesmo. O primeiro capitulo de As crônicas de Fedor; é o inicio de uma saga de cinco livros já escritos por mim, sendo que esses livros eram apenas um. Ex: O livro com nome de (O continente Naires) continha um total de 800 páginas, que dificultavam muito a publicação, pelo fato de – Aldemir Alves ser um autor aspirante, sem nenhuma obra publicada, qual editora aposta em um autor novato?

Visando a grande dificuldade em publicar, comecei a dividir os capítulos em partes – Na intenção de baratear a publicação – Esteros foi vendido em vários sites por demandas, até finalmente encontrar uma editora para publica-lo, depois de quase dois anos de luta, finalmente os sonhos se tornam realidade.

Por fim, uma publicação nunca é dádiva de uma pessoa só, muitos blogs e amigos literários fazem parte dessa conquista, dentre eles estão: Samantha do blog: Bibliotecaempoeirada, Junior Meneses Akelom, Jesimiel Caderno repicado, Lucas Justino Avila dos livros, Débora lima palavras que me distraem, e vários outros parceiros merecem o meu reconhecimento!  Posso afirmar que; as pessoas relacionadas à literatura em geral, são de bom álibi, existe um interesse geral em desenvolvimento e colaboração com a literatura nacional, essa união só serve para alavancar a nossa cultura, a globo-esfera nacional esta de parabéns pelo apoio ao autor brasileiro!


Abaixo estão às informações sobre a publicação, capa, sinopse, quantidade de páginas, ISBN, ETc.



Publicação - Editora Baraúna.


TÍTULO: Os livros de Esteros: as crônicas de Fedors


AUTOR: Aldemir Alves da Silva
Nº DE EDIÇÃO: 1
ANO DE EDIÇÃO: 2012
LOCAL DE EDIÇÃO: SÃO PAULO
TIPO DE SUPORTE: PAPEL
PÁGINAS: 250
EDITORA: EDITORA BARAÚNA



  As Crônicas de Fedors:


Capitulo 1.

   Um homem caminha solitário, sobre uma estrada longa e seca. O sol incessante castiga o seu corpo e faz arder seus pés calejados, de uma longa e árdua jornada. Para a sua alegria, contempla ao horizonte uma grande árvore de poucas folhagens, mas capaz de saciar o seu desejo por alguns minutos de descanso. Ao se aproximar, se assusta com uma figura encostada do outro lado da árvore.

O desconhecido aparentemente estava morto e cheirava muito mal, tocando com o seu cajado sobre o corpo empoeirado, o viajante sussurra algumas palavras:
- Hei você está bem? Hei senhor!

A figura sinistra move vagarosamente o seu rosto rumo ao viajante, sua face estava aparentemente toda queimada, parte do seu rosto eram apenas ossos brancos, respingados de pedaços de carnes apodrecidas. Um pedaço de pano sujo em trapos cobria o seu pescoço e corpo. Lentamente os seus olhos se abrem e, ele expele um gemido baixo e rouco:
- Hum, m...
Nesse momento pode se notar vários insetos voarem em todas as direções, abandonando o corpo da criatura imóvel e aparentemente em decomposição.

Salazar se assustando dá um pulo para trás, arregalando os olhos, pergunta ao desconhecido:
- O que é você? Como pode estar se movendo? Meu Deus.

A criatura movimenta lentamente o seu osso maxilar, repentinamente começa a dialogar com o viajante:
 - Desculpe-me a minha indelicadeza... Sente-se comigo e faça-me companhia? - Ao contrário do homem em sua frente, o ser continua sentado, aparentemente está cansado e tristonho, mas a sua voz é calma e doce.

O viajante senta-se ao lado da criatura sinistra, encarando-a fixamente faz uma pergunta em voz trêmula:
- O que houve com o senhor? Você me parece muito mal. - Enquanto diz tais palavras, se aproxima mais ao homem, enquanto observa suas feridas e escoriações.

A criatura sorrindo com muita dificuldade, movimenta a sua perna direita, se encosta sobre o tronco da árvore ao seu lado. Batendo a mão sobre uma formiga que estava sobre o seu corpo, pronuncia algumas palavras em tom de voz suave:
- A minha história é longa e muito dolorosa, também pode demorar muito tempo para ser compreendida. - Essa palavra já é dita em tom de voz alta e desencorajada, parecendo querer a desistência do curioso em sua frente, que nesse momento aparenta muito interessado em conhecê-lo.
O viajante se aconchega ao lado da criatura, retirando um pedaço de pão seco de sua sacola, diz ao estranho:
- O meu nome é Salazar, estou cansado da minha longa jornada rumo ao norte, tenho todo o tempo do mundo para poder ouvir sua história, sinta-se à vontade para dividi-la comigo. - Realmente Salazar pretende conhecer mais sobre a pessoa em sua frente, nesse momento o encara com firmeza, parecendo exigir mais informações sobre o recém-companheiro de solidão.

A criatura sorri novamente, enquanto levanta a sua mão direita, rejeitando o pequeno pedaço de pão oferecido a ele pelo viajante curioso. Lentamente redireciona o seu rosto em direção ao homem desconhecido, seguidamente começa a narrar a sua enorme história:
- Primeiramente o meu nome é Fedors, eu já tive outro nome, um nome forte e respeitado por todos no nosso mundo, já fui um membro da família Destrus.

- Mas o meu poder somado a minha inocência, me transformaram na criatura que sou hoje... Como eu disse antes a minha história é triste, de difícil compreensão. Mas antes de eu contá-la a você, preciso saber se realmente está disposto a ficar mais um dia em minha companhia. - Nesse momento Fedors leva os dedos aos lábios, e nos seus pensamentos ele parece implorar pela resposta positiva do seu novo amigo, querendo e desejando mais diálogo com alguém naquele momento, afinal não se sabe quanto tempo levaria para que outra pessoa cruzasse aquele caminho.

Salazar parecia ler os pensamentos da criatura, mas já estava embriagado pelas palavras do companheiro de prosa, então tratou de responder rapidamente a ele:
- Verdadeiramente, eu não tenho muita pressa em minha caminhada, ainda são muitos os meus caminhos a percorrer. Se tiver dúvidas sobre a minha permanência aqui, fique sossegado! Eu posso ficar mais um dia ao seu lado. - Agora Salazar deu o seu veredicto, ficaria ali e iria compartilhar a dor sentida pela criatura, que mesmo sendo horrível de aparência, era doce e sincera em suas palavras.

Um sorriso de felicidade é notado nesse momento sobre a face atordoada de Fedors, rapidamente ele agradece a companhia da pessoa sentada ao seu lado, seguidamente começa a dialogar novamente:
- Muito obrigado pela sua companhia, somente eu sei como é bom poder conversar com alguém nesse momento, contarei a você muitas coisas; algumas são tristes, outras são lamentáveis, mas todas elas são verdadeiras. Essa aparência horrível que eu me encontro nesse momento é o meu castigo, por aceitar a oferta tentadora de alguém já condenado na sua existência, mas isso ainda pode esperar, pois agora eu contarei tudo, desde o início da humanidade:

 Continua...

4 comentários:

  1. Débora Lima

    Oi Aldemir!
    Parabéns pela publicação do livro. A capa ficou linda. =)Fico muito feliz por ter feito parte dessa conquista de alguma forma.
    Beijos e muito sucesso!

  1. Esteros

    Eu que agradeço Dé, você é uma pessoa muito gentil e dedicada a literatura nacional, me ajudou muito^^

    Quero presentear o seu blog com um exemplar; para que faça sorteios entre os seus seguidores, logo entro em contato^^ Obrigado pelo carinho...

  1. Jesimiel

    Fazia tempo que não entrava aqui, mas depois de ver menção de eu nome não poderia me negar a parar para comentar:

    Parabéns Aldemir! Fico feliz que você conseguiu publicar o seu primeiro livro, espero que ele esteja tão bom quanto o que li no começo e venda bastante, para que todos sejam publicados e quem sabe ir parar nas telinhas (seriado) ou telonas (filme).

    A eu quero 2 cópias autografadas, onde posso comprar?

    Atualmente estou de colaborador no: http://euleioeuconto.com

  1. Esteros

    Jesimiel, obrigado pelo comentário, claro que devo citar você, afinal foi o meu primeiro parceiro e me ajudou muito em Esteros!

    Você é um amigo muito especial, uma pessoa que acredita no escritor brasileiro! Um abraço e tenha uma ótima semana!

Esteros livro digital

Arquivo do blog