RSS Feed

Vale a pena ser escritor no Brasil? - Por Aldemir Alves

Posted by Aldemir Alves da Silva






Olá pessoal!



Ultimamente percebo que o meu blog cresceu muito nesses quase quatro anos de atividades e muitos dos meus visitantes passam por aqui não somente para saberem sobre meus livros, mas também buscam algum tipo de informação e conselho de como publicar o seu primeiro trabalho. 

Primeiramente, tenho total convicção que não sou um grande autor gabaritado em nível de querer dar lição de moral ou ensinar um autor a escrever. Não pessoal, eu não sou Tolkien e nem Martin e não me acho nada além de um “aspirante a escritor”. Escrevo há apenas quatro anos e tenho muito a aprender. Entretanto, tenho uma pequena experiência no mercado literário e seria egoísmo meu não repassar meus conhecimentos a alguém disposto a escutar.

Eu comecei a escrever meus livros no ano de 2010 embalado pelo meu gosto pela fantasia, sempre gostei do tema. A magia da leitura me fascina desde a minha infância. A ideia de escrever veio pelo meu gosto pela leitura, leio desde os 10 anos quando os gibis do TEX eram sucesso, gostava do Capitão América, Homem-Aranha e Hulk. Com o passar dos anos minha irmã trazia livros da série vaga – lume para casa, aquela abelhinha na capa me despertava curiosidade, mas estranhamente, dentro não tinha tantos desenhos como os Gibis. Foi então que começou o meu amor pelas letras... Comecei a vasculhar os livros na cômoda dela, lia todos que encontrava e a cada dia estava enfeitiçado pela magia da leitura. Até que, com o passar dos anos, ela se casou e os novos livros sumiram. Eu tinha uma média de 50 gibis e uns 20 livros numa caixa de papelão, incluindo os de fantasia. Eu os li por anos até que cresci e comecei a trabalhar... A leitura desapareceu completamente da minha vida após a maturidade, até que em 2010 retornei com O senhor dos anéis, Tolkien me trouxe de volta ao mundo mágico da leitura.

O meu primeiro livro: Os livros de Esteros surgiu a partir de um conto de batalha, eu sempre gostei de desenhar personagens se digladiando mas nunca havia tentado criar um texto. A verdade era que eu queria mesmo me divertir, publicar um livro era algo que não passava pela minha cabeça. Só que quando eu terminei o texto ficou sem propósito tê-lo no computador, era um arquivo morto, afinal, pra quê guardar aquilo se eu podia mostrar a outras pessoas? Ai veio à ideia de procurar editoras. O melhor lugar era a internet, afinal era só anexar um e-mail e pronto!

Pronto...? Não era bem assim... 

Confesso, no começo eu queria ser famoso e ganhar muita grana escrevendo, e não adianta mentir, todo autor quando termina seu livro tem essa mesma ganância. Só que é como um tapa na cara, pois os dias vão passando... um mês... dois meses... três meses... a resposta nunca chega, as editoras nunca respondem. E se respondem, é sempre assim: “caro autor, devido a grande quantidade de originais em análise sentimos dizer que não será possível publicar o seu original”.

Ai começa a tortura...

Bem, posso dizer que me bateu uma vontade enorme de desistir! Só que o “clube de autores”, um site por “demanda” que permite autores iniciantes venderem os seus livros na web, foi o que me incentivou a continuar. Sério pessoal, depois que eu finalmente consegui comprar o meu primeiro livro... aquilo foi mágico! Foi o que eu precisava para dar continuidade a minha luta de um homem só. É claro que o livro era péssimo e mal escrito huahahua, mas vai falar isso para um autor cheio de expectativas.

Eu continuei escrevendo e publicando no club, depois do primeiro eu queria ter mais livros lá, “autor Aldemir Alves 8 títulos publicados” eu me achava o Chuck Norris kkk 

Mas às coisas costumam mudar depois que alguns leitores começam a ler o livro... os erros de português, a diagramação, a inexperiência gramatical e o trato com as palavras é algo que mata um texto; isso é quase geral se tratando de autores iniciantes. Eu tinha uma boa ideia, mas saber como colocar aquilo no papel era difícil... Eu continuo tentando até hoje =D

Certo...

Chega um momento que o autor não tem mais forças para continuar fazendo tudo pela obra, ou tentando fazer. A ideia de uma editora a qualquer custo surge e se torna mais forte do que a gente. Comigo foi assim, mas onde errei? O meu maior erro foi à falta de pesquisa, eu estava desesperado! Um site bonito, um carrinho de compras e aqueles posts bonitos feitos pelos parceiros da editora me chamaram atenção. “Baraúna”, essa foi a minha primeira editora. Acho que muitos de vocês devem conhecer.

Legal! eu tinha editora e tinha como pagar para publicar. Finalmente o livro saiu, cheio de erros no prefácio, na sinopse, na biografia, no rodapé e... Porcaria!!! Como fui burro ao descobrir que estava outra vez num site sob demanda que não vendia nenhum livro meu! Até posso aceitar o fato dos erros gramaticais e de revisão, pois hoje eu trabalho numa editora e sei que o “editor” não é o “revisor” ele paga caro para pessoas gabaritadas fazerem o serviço. Mas convenhamos, erro na capa, nas orelhas e sinopse, ai já é demais! 

Eu queria desistir outra vez, e desisti por uns 6 meses. Só que aquela frase “ sou brasileiro e não desisto nunca” guichê por sinal, bem, aquilo não parava de zunir em meus ouvidos. Eu voltei, e agora com a ideia de unir forças e criar Um Selo Editorial, aquilo era uma ideia doida, arriscada, coisa de “Louco!”. Mas eu era louco mesmo e seria só mais um ato de maluquice... 

Criamos a Editora Selo Jovem...

Agora eu tinha portas abertas, um selo onde poderia imprimir meus livros e finalmente não gastaria para me publicar. 

Será? 

Não... galerinha não é bem assim que funciona. Mandar imprimir um livro é fácil, só que é o seguinte: é preciso formar bons profissionais, UM selo editorial não é apenas ter um LOGO em PNG. Precisávamos de capistas bons, capital de giro, diagramadores, e os benditos REVISORES “que até hoje não encontramos”. 

O que eu quero dizer, é que nem tudo no mercado editorial é fácil e barato. Uma diagramação profissional gira em torno de 3,00 por páginas, isso para profissionais iniciantes e 7,00 para gabaritados. Um livro de 200 páginas custa para a editora 1,400 reais. Um capista cobra de 250 a 500 reais. A revisão varia de 3,00 a 12,00 reais por lauda, um original em A4 100 páginas sem diagramação, em fonte time New Romam custa na média de 600,00 a 1,200 reais.

Sem falar que as livrarias não estão 100% abertas a novos editores, e se estiverem interessados no livro pedirão 50% desconto, consignação, e por ai vai...

Tenho visto muitos blogueiros e leitores postarem nas resenhas que a editora fez um péssimo trabalho na revisão, de certa forma, eles têm razão, só que a editora pagou para um terceiro profissional pelo serviço. Mas, quem libera a impressão? Claro que é o editor, e isso o faz culpado pelo péssimo trabalho da equipe. 

Fazendo parte de uma editora eu posso afirmar que o editor não é o único culpado pelos erros, existe uma porcentagem grande para o AUTOR que muitas vezes não aceita as recomendações do editor, isso acontece e muito! Já vi autores brigarem porque acham que seu editor está sendo muito radical ao mudar palavras, frases, e até sinopse.

Na minha concepção e pequena experiência nessa área, o bom editor é aquele que aceita as críticas, aquele que tem compromisso com seus leitores. Um profissional que fará de tudo pelo livro e pelo seu autor, e  disso não tenho o que reclamar da nossa Editora Selo Jovem, pois nós aceitamos nossos erros, mas sempre estaremos prontos para tentar outra vez! E duvido que qualquer autor dali tenha o que reclamar. 

O texto acima traz Marketing e moral para A Editora Selo jovem? Eu sei que traz, mas não é minha intenção, disso vocês podem ter certeza. 

Quem acompanha meu Facebook e minhas redes sociais sabe que sou um autor que sempre prega”: “ O sucesso é possível em qualquer editora, basta o autor se dedicar ao seu projeto”.

Muitos dizem:  “não concordo que o autor precise divulgar o seu livro”. A editora quem deve cuidar de tudo. 

Estão errados?

Em minha opinião, sim!!! Afinal, se você é um grande autor porque procurou uma editora pequena? Eu também achava isso quando comecei, “vou publicar meu livro e pronto meus problemas acabarão”. O autor precisa entender que em sua maioria as editoras são profissionais jovens e inexperientes como eles, são assessores com muita vontade de trabalhar! Tem muita editora sacana procurando ganhar dinheiro e o autor que se foda! “Desculpem o palavrão”, mas existem. Também há aquelas editoras que estão procurando um autor talentoso, “ala Rowling” que será capaz de subir tanto editora/livro. Esse é o sonho e objetivo de ambos os profissionais sérios.

Com toda a minha experiência publicando meu livro eu posso dizer a vocês autores iniciantes:

Você tem um bom material? Acredita nele? Tem capital para investir? Tem peito para isso?

- Então, meu caro, dê o primeiro passo!

Há, mas eu vou ganhar dinheiro escrevendo, Aldemir? Compensa mesmo?

- Não vai ganhar quase nada! Caro iniciante, estando há quatro anos nessa área eu tenho motivos suficientes para afirmar que  não compensa investir pensando em retorno! 

- Você vai ganhar muita dor de cabeça, decepção, críticas - provavelmente destrutivas, se crescer um pouquinho vai esbarrar com muita inveja, as pessoas rirão de você, esnobarão o seu sonho e dirão que se você não fosse tão burro usaria seu dinheiro para comprar uma moto ou um carro popular.

Mas e ai, se é assim tão difícil porque você escreveu e continua tentando?

- Sinceramente? Eu acho que é porque faço isso porque gosto! Não estou pensando em ganhar fama e dinheiro e nunca estou satisfeito com minhas conquistas... Acho que é isso.

Finalizando...
Se quer escrever, amigo, escreva! Não é impossível alcançar o sucesso, mas não pense que tudo é como num conto de fadas!

Por Aldemir Alves.



4 comentários:

  1. Raimundo

    Como vai Aldemir? seu post caiu como um colírio nos meus olhos. desisti de escrever e procurar editoras há muito tempo pq não suporto essa pressão. só que, vejo toda essa dificuldade com bons olhos pq só se cria quem merece de vdd.

  1. Romances Deliciosos

    Eu posso dizer que até aqui também foi muito dificil pra mim. Mas sempre acreditei e sempre acreditarei... Por isso, continuo escrevendo. Desistir jamais!!!

  1. Pedro

    Aldemir ótimo post e muito realista. As pessoas acham que é tudo fácil e que autores estão nadando em dinheiro e sorrindo atoa, sendo que na verdade são uns guerreiros porque além de investirem em algo que acrreditam ainda passam por tempestades para só depois conseguirem o reconhecimento. muitos autores só conseguem sucesso depois de mortos, infelismente.

    já dizia Lair Ribeiro:

    Napoleon Hill comprovou que, diante de um copo com água até a metade, pessoas bem-sucedidas tendem a dizer que o copo está meio cheio, e não meio vazio. Ou seja, elas vêem a parte positiva.


  1. Aldemir Alves da Silva

    Olá pessoal, obrigado por comentarem nesse post.

    Raimundo, o objetivo do post não é fazer com que o autor desanime, eu quis passar uma experiência minha aos iniciantes, talvez ajude alguém. Os autores publicados hoje em dia muitas vezes passam somente o lado positivo da coisa, o negativo fica a espreita, por isso criei esse post. É como eu disse, se você acredita no seu potencial, e mais importante; no seu "material" então vai fundo que você consegue. Se tudo fosse fácil ninguém mais ia querer trabalhar hehehehe

Esteros livro digital