RSS Feed

O mercado literário - Por Aldemir Alves

Posted by Aldemir Alves da Silva



Olá pessoal.

Hoje completa 5 anos que estou escrevendo os meus livros, então resolvi relatar aqui nesse post um pouco das minhas batalhas no mundo literário. Irei deixar algumas dicas e comentar o lado bom e ruim de ser escritor.
  

Sobre críticas. 

É, nem tudo são flores... nós autores costumamos se dar muito mal nos primeiros livros que publicamos, tanto por não conseguirmos espaço entre os leitores, ou até mesmo por não agradar como queríamos, já vi muitos autores entrando em conflitos com os leitores porque fizeram críticas muito pesadas em seus livros, daquelas bem destrutivas. Eu não costumo ler críticas destrutivas dos meus livros, gosto mais das construtivas onde o leitor deixa dicas e comenta o que não gostou. Não acho que nós escritores devemos nos preocupar com todas as opiniões, sério mesmo, até porque gosto é algo difícil de se explicar... eu tava lendo um artigo esses dias onde críticos falavam muito mal do último filme do quarteto fantástico e eles diziam que o filme é péssimo e que foi um desastre, bem eu não assisti ainda, mas falaram também que pior que ele só o Lanterna Verde de 2011, sério? Pô, em minha opinião o lanterna é um dos melhores filmes de heróis que já assisti. Já vi caras aí detonarem O senhor dos anéis sem ao menos lerem a obra, só porque ouvem falar que é ruim e complexo, eu já acho a escrita de Tolkien simples e convidativa, então, GOSTO é questão de opinião. Ah, e tem outra, vejo também muitos blogueiros dizendo que não leem livros de brasileiros porque sempre que faz uma resenha ruim o autor leva pro lado pessoal e não fala mais com ele, e etc... mas pessoal, como que o autor vai falar algo com o resenhista sendo que ele odiou o livro? Tipo, o autor vai chegar lá e dizer que vai sair o 2º volume e... (é complicado né?) kkkkkkk


 Gastar em publicações.

Ás vezes vejo alguns autores chorando porque investiram uma graninha para publicarem, nem isso, (comprarem alguns livros), rs, eu olho para trás e lembro o quanto gastei no meu, em revisões horríveis, publicações sem ganhar nenhum livro, e várias impressões, muitas desastrosas. O pessoal que entra no mercado do livro tem que ter ciência que pra ganhar dinheiro com isso é a longo prazo. Quando falo longo prazo eu digo: 10 a 50 anos. A história de muitos autores famosos falam por si só. Ah, mas Aldemir vale a pena investir para ser publicado? É o seguinte pessoal: tudo o que trás retorno precisa de investimento, nada, nada mesmo no mercado literário é de graça, nem para editores nem para autores. 

Se vale a pena gastar para ser publicado? Vale sim, mas o autor precisa procurar sempre a melhor opção para não se apertar até porque as condições dos brasileiros há alguns anos não são das melhores. Então se você for investir em uma publicação eu sugiro que pesquise muito, procure as editoras que só pedem ajuda com compra de livros, tentem fugir das que cobram granas altíssimas por trabalhos editoriais.Primeiro porque um livro raramente vai sair bem bonitinho na primeira edição, Segundo, depois que o trabalho estiver pronto e aprovado por você, não vai ter como reclamar mais, esse negócio de entrar na justiça e tretas só vai queimar tanto autor como editora. 

Então tudo é questão de pesquisa e investir de forma correta. Esperar ser publicado sem investir é interessante, mas sei lá, eu duvido que autores iniciantes sem nenhum nome consigam editoras que apostam em um artista sem público. Pessoal os investimentos em uma obra é algo caro pra caramba!!! Um editor precisa investir em revisão (algo caro), diagramação, capa, registros editoriais, se for imprimir livros em quantidades grandes, já a primeira tiragens passa de 12 mil reais, porque um livro de 200 páginas custas nessa média por unidade. Depois tem as vendas, e as livrarias são mercenárias, querem o produto com 50% desconto, consignação com 90 dias para pagar, direito a devolução se não vender, a editora paga o frete de envio e retirada, e quando vende pra receber é uma luta. Falo isso porque trabalho em editora e sei como funciona. Eu já critiquei muito as editoras antes de conhecer como funcionava o mercado, agora que sei como é as coisas eu aceito que essas empresas precisam de lucro, e quem dá lucro? simples pessoal: autores renomados, Tolkien, R.R. Martin, John Green, etc.


Compensa publicar o primeiro livro?

Hehehe... eu já ouvi falar muito sobre isso, inclusive autores como Vianco dizia que ainda bem que não publicou seu primeiro livro porque era uma droga. Bem, é questão de opinião, mas eu acho que, sim vale a pena, afinal o autor precisa dar um primeiro passo, e todo primeiro passo é torto, dificultoso e podemos cair, mas também é possível se levantar. Claro que vale, porque isso será um incentivo para você. Quando olhar o primeiro, e os outros que provavelmente virão vai descobrir como está melhorando, aprendendo novas técnicas, amadurecendo... Você vai poder rir sozinho se lembrando de como era inexperiente, como estava empolgado e crente que era um talento nato, hehehe, é um registro de nascimento pessoal! (:

Aldemir dá pra ganhar dinheiro escrevendo livros?

Isso é outra coisa que me perguntam muito! E a minha resposta nunca agrada ninguém, pessoal, quando eu escuto "ganhar dinheiro" eu penso grande, em viver disso, comprar casa, carro, sustentar a família e viver bem. Se sua pergunta for essa, então eu digo: NÃOOOO!!!  

Eu tenho certeza que no Brasil 99% dos autores não ganham dinheiro escrevendo. Você ganha fama, seguidores, amigos, fãs, mas muito dinheiro é complicado. Recuperar seu investimento, ganhar uma graninha para ajudar nas despesas e continuar investindo em sua carreira dá, isso é possível. Se você souber usar a cabeça, se receber os livros que investiu pode até duplicar o primeiro investimento, pode ganhar nas vendas que a editora promove, pode lucrar com as vendas nas livrarias (que são bem poucas), enfim dá pra continuar tentando.

Eu tenho um prefácio bem grande no meu primeiro livro que fala um pouco do que já investi e passei pra poder publicar meus livros, é grande, então deixarei aqui somente Nota do autor, mas quem quiser ler tá aqui:



NOTA DO AUTOR

Para um melhor entendimento dessa trama, sugiro que o leitor leia primeiro “A mitologia esteriana” que se encontra no final deste livro. A parte mitológica narra a descendência divina dos povos aqui apresentados e explica de forma clara como surgiram os deuses e os planetas apresentados na história. As mudanças aplicadas nessa nova edição foram editadas no intuito de poder melhorar a leitura. Muitas delas baseadas nas visões de alguns críticos literários que apontaram erros e acertos na narrativa. As principais mudanças a serem destacadas são as caracterizações do mundo e personagens.

Mesmo que as críticas tenham me inspirado a melhorar esse livro sei que há possibilidades de que essa história não agrade a todos, e que alguns ainda possam criticar o modo como ela foi escrita, porém, por outro lado, tenho certeza de que outros irão apreciá-la e se divertir bastante enquanto a leem. É óbvio ainda que algumas pessoas poderão dizer que essa trama não é a mais original na literatura fantástica, ou a mais criativa. Entretanto, esse livro tem conquistado muitos leitores desde a sua primeira publicação. E eu penso que um autor jamais deve criar a sua obra apenas para si próprio, pois isso seria egoísmo.

Os livros de Esteros teve a sua primeira versão publicada no ano de 2011, num site onde a publicação é gratuita e de forma 100% sob demanda. Ali provei pela primeira vez a dádiva de ser lido e acompanhei as primeiras críticas dos meus, então, primeiros leitores. Para alguns, o livro era pequeno e com poucos diálogos, para outros era uma leitura agradável e que deixou pontas soltas, que eles ansiavam em descobrir. Eu estava a cada dia mais envolvido nesse projeto, então não parei e continuei criando a história.

Em 2012, terminei o livro completo em um total de 600 páginas. Quando finalmente fechei a história com o título de Esteros - O Continente Naires, parti para uma tentativa frustrada de publicação. Enviei esse livro para muitas editoras pequenas, médias e grandes. Jamais recebi respostas positivas e as que responderam me cobravam preços absurdos e fora de minha realidade financeira. Foi quando eu estava quase desistindo e voltando para “aquele site”, que recebi uma proposta um pouco mais amigável, a editora me oferecia 300 livros e o valor na época R$ 7.000,00 mil reais. Pensei bem e estava decidido pela publicação a qualquer custo, então pensei em dividir o livro em partes. A partir daí me tornei um autor publicado.

Porém a simples publicação, sem nenhuma divulgação ou interesse por parte da editora em vender meus livros, me frustrou outra vez. Descobri que embarquei em um navio prestes a naufragar. Outra vez, estava num “site sob demanda”, porém agora era pago. Aquela editora não fizera uma revisão decente no meu livro, não se interessava em vendê-lo e não era séria, nem mesmo bem aceita pelo público leitor.

Foi quando me bateu o desespero. Preferi sinceramente quebrar o contrato e retornar ao site sob demanda. Mas antes que eu retornasse, surgiu uma luz no fim do túnel. Uma editora jovem me cedeu uma oportunidade. A Editora Selo Jovem, que nasceu com a junção de alguns autores dispostos a se autopublicarem. A missão era dar vida a um selo editorial, nós mesmos trabalharíamos em nossas obras, cada um assumindo uma função e ajudando um ao outro. A ideia funcionou, e a partir dali consegui publicar sem nenhum custo e os leitores começaram a aparecer... Finalmente estava sendo lido!

Os livros de Esteros teve a sua publicação oficial no início de 2013. Sendo publicado em partes. Comercializado a um preço justo, principalmente no site da editora, e também na Amazon. O livro vem sendo muito bem aceito pelos leitores de fantasia. Por experiência, eu, Aldemir Alves, digo a vocês caros autores:

Invistam em seus sonhos, acreditem que são capazes e jamais desistam quando alguém disser que você não é bom o bastante para fazer isso ou aquilo. Você pode tentar, você deve arriscar e vai conseguir...

Para os leitores que criticaram o meu livro, para outros que irão criticar, deixo apenas um trecho de um comentário escrito pelo mestre Tolkien que sempre me inspirou.

J.R.R. Tolkien diz em seu prefácio:

"Algumas pessoas que leram o meu livro, ou que de qualquer forma fizeram uma crítica dele, acharam-no enfadonho, absurdo, ou desprezível. Eu não tenho razão para reclamar, uma vez que tenho opiniões similares a respeito dos trabalhos destas pessoas, ou dos tipos de obras que elas evidentemente preferem. Mas, mesmo do ponto de vista de muitos que gostaram de minha história há muita coisa que deixa a desejar. Talvez não seja possível agradar a todos em todos os pontos, nem desagradar a todos nos mesmos pontos... O leitor mais crítico de todos, eu mesmo, agora encontro muitos defeitos, maiores e menores, mas, infelizmente não tenho a obrigação de criticar o livro ou escrevê-lo novamente, passará sobre eles um silêncio, com exceção de um defeito que foi notado por alguns; o livro é curto demais!”

Então, caros amigos, a resposta de Tolkien para as críticas destrutivas foi bem simples, pois com suas palavras ele disse: “eu vou escrever mais e mais, essa história se tornará enorme e vocês vão ter muito para criticar”. Esse defeito Tolkien resolveu, vejam só o tamanho de sua obra. Inspira ou não?

Esteros vai se estender, todos esses primeiros livros serão unificados. Como eu descrevi no primeiro livro, existem cinco continentes a serem descobertos, é minha obrigação demarcar esse mundo com mapas e escrever sobre todos os outros continentes.

0 comentários:

Esteros livro digital