RSS Feed

Jornada de um escritor

Posted by Aldemir Alves da Silva


Olá Caros,

Olha eu aqui outra vez. 

Hoje falarei sobre um assunto que eu gosto muito de dialogar, o mercado literário.

Quem acompanha meu blog desde o começo, 2011, sabe que eu já passei por várias dificuldades no mercado livreiro, desde a primeira publicação (2012) onde investi 7,000 mil reais, tive que comprar livros depois de publicado e, o sonho se tornou uma lástima quando meus livros, enfim chegaram, erro na biografia, erro grave na sinopse, meu nome escrito de forma errada no livro todo, erros gravíssimos de revisão, e etc. (hoje, a única coisa que aceito foram os erros de revisão, porque sei que eu errava muito, os revisores erram demais, e um livro nunca fica bom logo na primeira edição).

Ok, eu sobrevivi a muita coisa negativa e estou aqui; estou aqui outra vez, em outra guerra, agora me sentindo um General, com algumas patentes e insígnias no peito, mais com muitas responsabilidades. Me sinto como se estivesse naquele filme " O resgate do soldado Ryan). Rs, já vi muitos guerreiros corajosos empunhando suas armas (livros), enchendo o peito de ar e "gritando" "eu irei vencer essa guerra"! Mas muitos, muitos mesmo, caíram e foram abatidos, ficando para trás, outros vão surgindo a cada dia, e eu os vejo cheios de coragem e vontade de vencer a guerra, mas o tempo passa e uma bala perdida deixa mais um corpo ao meu lado, caído e estilhaçado. 

O que eu disse acima é apenas uma filosofia pessoal, eu apenas argumento uma realidade de um mercado difícil, concorrido, desleal com grandes talentos brasileiros que surgem todos os meses em várias editoras, mas que sucumbem na mesma velocidade. 

Mas por quê sucumbem?

Bom, eu tenho algumas teorias quanto a isso, a mais forte é que: as pessoas surgem com muita sede ao pote, o pensamento de ficar RICO, viver de escrita, se tornar best seller da noite para o dia como muitos conseguiram; em minha visão, isso é como um verme que consome uma fruta boa. O verme da ambição irá matá-lo antes de se tornar uma árvore a conceber frutos bons.

Desde que eu entrei nesse mercado, a CINCO anos, (Obs: tenho 3 anos de publicação), eu investi o que pude, lutei, mas eu nunca tive grandes pretensões de ficar rico, viver disso, ou me tornar best seller. Eu só escrevi até hoje porque gosto, para passar o tempo, e porque isso me faz bem. Ao escrever meus manuscritos eu posso fugir da realidade desse mundo, desse país corrupto e do dia a dia aguerrido em que todos nós vivemos, independente de classe social, ou raça, a vivencia diária do ser humano tem seus altos e baixos.

Voltando ao mercado do livro, eu diria que não devemos lamentar as dificuldades, ou sofrer pelas não conquistas, meu texto não destinasse a se tornar uma crítica, eu não estou dizendo para que vocês desistam, pois a melhor coisa de sermos humanos, é poder sonhar e depois conquistar. 

Quando muitos autores me procuraram nessa minha jornada, pedindo conselhos e dicas, eu sempre fui direto, honesto, e realista com as minhas respostas: "nada é impossível meu amigo, mas não espere por contos de fadas". Os anos se passaram, e sim, eu consegui realizar muito do que eu queria: "mostrar meu trabalho para o máximo de pessoas possíveis", eu consegui e somo hoje quase 3,000 livros vendidos em impresso (algo louvável para um autor nacional iniciante, sem grandes espaços em livrarias e publicado por uma editora em fase crescente), em digitais eu não tenho noção, mas creio que seja muita coisa mesmo. A internet é um portal bom e ruim para um autor iniciante, pois a pirataria contribui e muito para a não venda dos impressos, mas você poderá chegar a números extraordinários se tiver no mercado digital (eu me ausentei a algum tempo desse mercado, mas pretendo retornar em breve).

Hoje trabalho em editora, vejo autores esforçados subindo degrau por degrau, crescendo aos poucos; e nesses vejo força, coragem e futuro. Vejo também muitos outros desencorajados, feridos e que provavelmente irão sucumbir... eu não os culpo pela desistência, pois muitas vezes também me faltou forças e eu agonizei ajoelhado no solo.

Eu tenho muita experiência, muito a falar e muito ainda para aprender, mas uma coisa eu aprendi nesses meus anos de luta: "Triunfam apenas aqueles que sabem quando lutar e quando esperar". Texto de Sun Tzu.

Caros,
Apenas façam seu melhor, não busquem grandes pretensões de imediato, escrevam para sua satisfação própria, não tentem agradar todas as pessoas, pois isso é impossível, não escutem e não tomem como exemplo a derrota do soldado fraco... sejam amadores confiantes, e jamais parem de sonhar, lutar; pois só sucumbimos de fato, quando aceitamos a derrota.


2 comentários:

  1. Daniel Moraes

    Olá, Aldemir! Tudo bem?

    Palavras de um sábio... simplesmente um sábio.
    Parabéns pelo excelente texto. Sempre incentivando-nos a nunca desistir de um sonho!

    Visite-nos:
    Irmãos Livreiros

    Forte abraço!

  1. Aldemir Alves da Silva

    Oi Daniel, poxa obrigado pelo comentário, rs. Mas não, ainda sou apenas um aprendiz trilhado um caminho difícil e cheios de obstáculos, somos dois guerreiros com o mesmo objetivo (:

Esteros livro digital